RSS

As cores dos animais

17 Abr

Gene Agouti pode ser o principal responsável pelas diferentes pigmentações

Ratos-cervo são os mais comuns na América do Norte
Os padrões de cores dos animais são essenciais para a sua sobrevivência pois ajudam-nos a camuflarem-se e a protegerem-se de potenciais predadores nos seus habitats naturais. Contudo, a sua origem era até agora um mistério para a ciência.De acordo com um artigo publicado na “Science”, a resposta para este “enigma” pode estar num gene chamado Agouti, que foi descoberto por cientistas da Universidade de Harvard nos ratos cervos (Peromyscus), o mamífero mais difundido na América do Norte.A expressão deste gene específico, presente em todos os vertebrados, pode determinar a cor de uma grande variedade de espécies a partir do desenvolvimento do embrião.
Os investigadores testaram duas populações selvagens de ratos cervos. Uma delas vivia no interior da Flórida e apresentava o dorso escuro e o ventre claro, enquanto a outra era predominante no litoral e tinha o pelo mais claro. A equipa  liderada por Marie Manceau, a autora principal do estudo, descobriu que a expressão do gene Agouti determinava os padrões da cor dos roedores logo doze dias após a sua concepção, muito antes dos primeiros pigmentos aparecerem na pele. “Durante a embriogénese –  o processo que conduz à formação de um organismo multicelular- , o Agouti é expresso no útero, o que atrasa a maturação das células que, eventualmente, produzem os pigmentos”, referiu  Hopi E. Hoekstra, outro dos autores da investigação.“Isso leva a um ventre mais claro nos adultos, que é o padrão de cor mais comum na maioria dos vertebrados, dos peixes aos antílopes”, acrescentou.Os investigadores acreditam que mesmo pequenas alterações na expressão genética do Agouti podem estabelecer um novo padrão de cor completamente novo. No rato cervo, a selecção natural produziu mudanças, pelo que os roedores podem camuflar-se com o ambiente que os envolve. Aqueles que vivem no litoral são mais claros, como a areia, enquanto os do interior são mais escuros, passando despercebidos nas florestas.

Fonte: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=47632&op=all

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Abril 17, 2011 em Mundo animal

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: